Sobe para 12 o número de mortos no incêndio em Londres

O número de mortos no incêndio que destruiu um prédio de apartamentos  na madrugada desta quarta-feira (14) subiu para 12, informou a polícia local. As autoridades acreditam que o número de mortos ainda deva subir mais nas próximas horas.

Além disso, há ainda 68 feridos distribuídos em seis hospitais, sendo que 18 estão em situação crítica.

As chamas tiveram início perto da 1h da manhã e se espalharam pelo edifício residencial Grenfell Tower, localizado no bairro de Kensington, e testemunhas relataram que alguns moradores gritavam pedindo ajuda das janelas dos andares mais elevados e outros tentaram atirar crianças para salvá-las.

Mais de 200 bombeiros, apoiados por 40 caminhões, lutaram durante horas para debelar o incêndio, um dos maiores já vistos na capital inglesa. Perto do meio-dia local, a polícia de Londres disse que seis pessoas morreram e alertou que o saldo de mortes deve subir.

O comandante de polícia Stuart Cundy disse que uma “operação de recuperação” pode levar algum tempo e que pode haver pessoas no prédio que ainda não foram localizadas, mas não quis falar em números.

Equipes de bombeiros ainda tinham que chegar aos quatro últimos andares do edifício, onde várias centenas de pessoas moram em 130 apartamentos.

A causa do fogo não foi identificada de imediato.

Recentemente a torre de apartamentos passou por uma reforma que incluiu um novo revestimento externo, a substituição de janelas e uma nova fachada.

Colunas de fumaça negra foram vistas sobre a capital britânica durante horas depois que o incêndio começou. Moradores fugiram por corredores repletos de fumaça ao serem despertados pelo cheiro de queimado.

O Corpo de Bombeiros de Londres disse que o fogo envolveu todos os 24 andares a partir do segundo, e surgiram relatos de que alguns residentes saltaram das janelas para escapar das chamas.

Uma mulher perdeu dois de seus seis filhos ao tentar fugir do prédio, segundo uma testemunha. Outras testemunhas falaram de crianças, incluindo um bebê, que foram lançadas pelas janelas de andares mais altos para serem salvas.

“Em meus 29 anos como bombeiro, eu nunca vi nada nessa escala”, disse o comissário dos bombeiros de Londres, Dany Cotton, a repórteres.

Mais de 12 horas após o início do incêndio o edifício ainda soltava fumaça, embora não corra risco de desabamento, segundo as autoridades.

Comentário Facebook

Leia tambem