Criação de defensoria da mulher é rejeitada pelo prefeito de Eunápolis

OUÇA A MATÉRIA


O Projeto de Lei (PL) de autoria do vereador Jota Batista,(PSC) criando a Defensoria Pública Municipal da Mulher, teve aprovação geral da Câmara de Eunápolis, mas não foi sancionado pelo prefeito Robério Oliveira, sob o argumento de que “não há verba neste momento até porque a festa popular do Pedrão já é um desafio e consome muito dinheiro”.
A informação é do próprio vereador que, também, é advogado, em entrevista ao Foco Bahia na manhã desta segunda-feira, (12). Veja o vídeo.

O vereador explica que tem aumentado muito a violência contra a mulher, no Município de Eunápolis, exigindo dos poderes um escorço conjunto para proteger a vida e a integridade física, moral e psicológica das vítimas. Mas, a atitude e argumento do prefeito Robério e,  levou os  vereadores  a por um placar de 10×6 e 1 abstenção, a reprovar o projeto de lei  na Câmara.
O vereador que é registrado civilmente com o nome de João Batista Alves Pereira, lamenta o fato de Eunápolis ainda não ter uma Delegacia de Polícia da Mulher (DEAM). Por isso, explica, a criação da Defensoria Pública Municipal da Mulher seria uma ação extremamente importante para garantir um mínimo de dignidade a tantas vítimas anônimas.
Jota Batista, cumpre o segundo mandato de vereador e já foi vice prefeito do Município.

Foco Bahia.

Comentário Facebook

Leia tambem